ads

Oficina de Corpo em Ambiente/Sociedade em Boa Vista - RR





O corpo é um instrumento de experimentações, com ele é possível trocar, difundir, extrair, comprimir, isto é, promover potencialidades cênicas. Assim, a oficina Corpo – Ambiente/Sociedade tinha como objetivo desenvolver a partir das inquietações de cada participante, partituras de um corpo social cênico. Dessa forma, a oficina foi mediada pelo Grupo de Teatro Faces Jovem no estado de Roraima através da circulação do espetáculo Alice do programa Sesc Amazônia das Artes – 2018.
            A oficina foi mediada da seguinte forma: por meio de uma roda de conversa, a ideia era mapear as visões de mundo, as inquietações e angustias de cada participante. Depois, a turma foi separada em quatro grupos de 12 pessoas, cada grupo ficou responsável por montar uma fotografia com um número determinado de bases no chão, explorando assim suas limitações.
Para um exercício final da oficina, cada grupo deveria montar uma performance. Assim, após assistir aos resultados foi possível perceber que a cada apresentação o público reagia de uma forma diferente. E isso, se tornou muito potente em cena.
Em linhas gerais, o nosso corpo reage, muitas das vezes, diferente do que programamos, pensamos, ou seja, pensando por essa perspectiva, é libertador perceber que eu posso deixar meu corpo no controle e não pensar o tempo todo, ter um corpo espontâneo, vale mais que ter um corpo criativo, neste caso.Pois,é impressionante ver como o nosso corpo é espontâneo e orgânico, de como ele por si próprio corresponde a uma música, por exemplo. No entanto, é preciso apenas estar aberto, disponível em cena.
Por fim, a oficina é uma contrapartida da circulação do espetáculo Alice no Sesc Amazônia das Artes – 2018 e promoveu em mais uma cidade, troca, afetos e atravessamentos através da oficina Corpo - Ambiente/Sociedade.